Três dicas que podem te ajudar a controlar a ansiedade

A ansiedade é uma das maiores queixas das pessoas. Como já disse anteriormente no texto “Por que sentimos ansiedade?”, todos somos ansiosos! A diferença está na intensidade em que ela ocorre em nossas vidas. Ela é super importante para a nossa sobrevivência. Entretanto, quando começa a ficar exacerbada, atrapalha demais a vida. Se atrapalha sua concentração, produtividade e até seu sono, esse texto é para você. Algumas dicas podem ser úteis para lhe ajudar a colocar a cabeça no lugar a hora da ansiedade!

Respiração diafragmática: as pessoas muito ansiosas não respiram direito. Respiram rápido demais porque estão sempre preparados para a nossa resposta frente ao medo: lutar ou fugir. E como é respirar certo? Você certamente já viu um bebê ou um cachorrinho dormindo. Eles respiram devagar, suave e profundamente. Esse é o jeito “certo” de respirar. Quando respiramos profundamente, o cérebro entende que não há uma situação de perigo, então relaxamos o corpo como um todo. É importante que isso seja feito com frequência, pois o corpo estará preparado para se acalmar mais facilmente em situações estressantes.

Se for possível, vá para um lugar silencioso e calmo. Se quiser, coloque uma música de relaxamento. Feche os olhos e respire com uma frequência mais lenta e prolongada. Se concentre no ato de respirar. Conte vagarosamente até quatro inspirando e expire contando até cinco. Não é necessário puxar muito ar, só respire profundamente. Puxe o ar com o abdômen e o empurre para fora ao expirar. Coloque a mão sobre o peito e o abdômen, e sinta o movimento a cada vez que puxar e soltar o ar. Faça isso por alguns minutos até se sentir mais calmo. Abra os olhos, sinta o seu corpo mais relaxado e levante devagar para evitar quedas de pressão.

Relaxamento bioprogressivo: Tensione grupos de músculos numa contagem até dez, relaxando-os logo em seguida e seguindo com a respiração diafragmática. Para um exercício mais prolongado, inicie com os membros inferiores e suba até a face. Por exemplo: contraia o máximo que puder todos os músculos da sua face (sim, vai ficar uma careta) e conte até dez, relaxando e sentindo diminuir a tensão.

E por último, vou te fazer uma pergunta: você já tentou arrancar uma árvore sem cavucar a terra em volta da raiz? Por mais força que faça, é praticamente impossível mover ela do lugar, por menor que seja a planta. Até graminhas menores já é difícil de puxar dada a profundidade da raiz. Calma, a dica não é sobre fazer um curso de jardinagem.

Quando temos sintomas, seja eles quais foram, é só uma folhinha de uma planta perto da profundidade da raiz – o problema propriamente dito. E por que estou falando isso? Porque aqui tem algumas dicas, mas elas ajudam nos sintomas, mas não na causa do problema. É importante investigar a fundo o que aquele problema diz sobre você. Sou psicóloga, e acredito que se a ansiedade ou qualquer outra emoção esteja exacerbada, atrapalhando a sua vida, minha primeira dica é procure psicoterapia.

Eu percebo um movimento das pessoas se queixarem de problemas e até ter crises gravíssimas de ansiedade, a ponto de parar no hospital, mas não procurarem uma mudança efetiva. Alguns já querem tirar a solução com comprimidos. Remédio pode lhe ajudar? Com certeza! Entretanto, diversos estudos comprovam que medicamentos psiquiátricos são muito mais efetivos acompanhados de terapia. As pessoas sabem que algo está errado, que elas precisam de ajuda, tudo tem sido muito complicado no seu cotidiano, mas relutam em procurar ajuda especializada. Mudar é difícil, é muito mais fácil ficar na zona de conforto. Mas a que custo? Pondere os benefícios de viver assim ou de procurar ajuda especializada. Imagine o quanto de energia iria sobrar para fazer outras coisas!

“Ahh, mas não tenho dinheiro!” Existem inúmeras instituições e atendendo gratuitamente ou a baixo custo!

Gostou do texto? Compartilhe nas suas redes sociais!

Texto de Juliana S. Farias 

julianaJuliana S. Farias é psicóloga formada pela Universidade Federal de São Paulo (CRP: 06/130659). Pós-graduanda em adolescência e formação em Terapia Cognitivo-Comportamental. Atualmente, trabalha em uma equoterapia e atendimento clínico. É apaixonada por terapia assistida por animais. Acredita na psicologia como forma de promoção de qualidade de vida para todos.

Contato : jusouzafarias@gmail.com 

Blog : Psicóloga Juliana Souza Farias 

0 Comments

Join the Conversation →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *