Estrelas além do tempo

Esse texto não é uma reflexão psicológica, na verdade é um desabafo de um psicólogo que como qualquer ser humano às vezes fica indignado.

Tive uma experiência um tanto perturbadora ao assistir o filme Estrelas além do tempo, a vivencia desse momento me causou duas sensações; uma de fascínio e a outra de indignação e vou explicar cada uma abaixo.

Fascínio por ver mulheres negras em um tempo que não era comuns mulheres fazerem faculdade na érea de exatas ou ocupar cargos de destaque em empresas e se levar em consideração o fato de ser negras o feito se torna ainda mais fascinante.

Indignação, pois, até ver esse filme eu nunca tinha ouvido falar de mulheres na NASA, quanto mais negras e isso me lembrou de Luiz Gama um negro que em 1864 começou seu ativismo abolicionista e se tornou um dos principais defensores dos negros em processos jurídicos por ter conseguido o cargo de delegado em sua época. (link de um vídeo explicando mais a vida dele no final do texto). Nos dois casos apesar de estudar, assistir filmes e ver vários documentários essas figuras foram apagadas da história apenas por seu gênero ou etnia.

Mesmo tendo conhecimento do por que da falta de reconhecimento dessas mulheres nessa época, isso me indignou, afinal o que justificava tais atitudes, como banheiros separados, lugares diferenciados para negros nos ônibus, escolas e faculdades apenas para brancos, nada justificava era apenas conformidade de alguns e ignorância de outros, pois a lei da época já bania tais critérios, mesmo assim a estupidez falava mais alto e com muita raiva.

Agora vem a parte que mais assolou meus pensamentos, é que ainda hoje vemos essa estupidez, talvez menos direcionada aos negros ou as mulheres.

Vejo essa barbárie com negros, mulheres, LGBTs, imigrantes, pobres e outros e tento imaginar o quanto evoluímos em relação a esse passado retratado no filme e chego a uma conclusão terrível: Não evoluímos nada!

Agora você deve estar pensando que eu estou radicalizando e generalizando e que eu não consigo ver os avanços que nossa sociedade deu, então te convido a uma pequena reflexão.

Ainda temos que criar leis pra proteger as mulheres, como a lei Maria da Penha, pois ainda se mata mulheres pelo simples fato de serem mulheres.

Ainda temos que ter leis para dizer que preconceito é crime e leis de inclusão, pois ainda os negros são minoria em qualquer ambiente relevante da sociedade como faculdades, politica, empresas e são maioria em cadeias, em subempregos e na linha de pobreza extrema.

Ainda não reconhecemos que a sexualidade é diversa e complexa para ser reduzida a uma bipolaridade heterossexual, rejeitamos as existências diferentes e limitamos suas vivencias por puro preconceito em nome da família supostamente tradicional.

Ainda rejeitamos a ciência quando ela discorda de nossas verdades absolutas.

Como podem ver o pouco que supostamente avançamos não foi por mérito e mudanças de pensamentos, mas sim através de leis. Se duvida faça o seguinte teste:

Diga algo extremamente preconceituoso e veja reação. Veja quantas pessoas que não fazem parte do alvo do seu preconceito irá verdadeiramente se indignar. Provavelmente a maioria dirá as seguintes frases:

– Cuidado agora é crime.

– Para com isso, você pode ser preso.

– Você pode até pensar assim, mas não tem o direito de falar.

Veja que a maioria das respostas provavelmente você já ouviu alguém falar. Claro que algumas pessoas podem nunca ter ouvido essas frases, mas com certeza é uma minoria.

Pra finalizar esse desabafo, quero deixar uma ultima frase:

Não espere a maioria correr em direção do certo, do justo ou do ético, tome você mesmo à decisão de iniciar a sua caminhada nessa direção, mesmo que pareça que esta indo para o lado errado.

Espero que a leitura te cause o mesmo desconforte que estou sentindo agora ao teclar.

Texto de Paulo Gomes

Link sobre Luiz Gama

https://www.youtube.com/watch?v=WtrEvfacndI

Link trailer Estrelas além do tempo.

https://www.youtube.com/watch?v=vDek1xLtbBs

foto

1916962_1096232783740887_5974827534243421300_nPaulo Gomes é psicologo clinico e idealizador da pagina Estar Pleno que fala sobre psicologia, saúde ,bem estar e por que não diversão?

CRP 06/115604

Paulo Gomes

view all posts

Psicólogo Clínico na região do ABC Paulista e Zona Sul de São Paulo e administrador da Página Estar Pleno no Facebook

1 Comments

Join the Conversation →

  1. Ainda não assisti , já vou incluir na lista de férias.

    Angela / Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *